Rastreadores de automóvel substituem o seguro?

Descubra qual o melhor custo-benefício: seguro ou rastreador de automóvel


Muitas pessoas se perguntam se rastreadores são proteção suficiente para seu automóvel, servindo de substituto do seguro. A pergunta chave nesses casos é “qual o melhor custo-benefício”?

Para chegar a uma resposta é preciso ter em mente aquilo à que tanto o seguro quanto os rastreadores se propõem enfrentar: o risco. Quais os riscos aos quais seu automóvel está sujeito? Como o seguro e o rastreador propõem protegê-lo desses riscos? E (afinal, muquirana que se preze sabe bem que sempre deve perguntar… rs!) qual o custo dessa proteção?

  • Quais os principais riscos para um automóvel de passeio?
Muitas pessoas se esquecem que o roubo não é o único risco ao qual o automóvel está sujeito, ainda que seja um dos principais. No Relatório da Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo se vê que só no 3º trimestre de 2012 foram roubados 20.603 veículos somente neste Estado.

É preciso considerar ainda muitas outras possibilidades: impacto de veículos (que pode ou não levar à perda total do veículo), danos a terceiros (como por exemplo num acidente de trânsito ou com seus passageiros), enchentes e inundações, granizo e até situações menos prováveis (mas vai saber…) como incêndio e raio. Essas e muitas outras situações são riscos tão eminentes quanto o roubo.


  • Seguro VS Rastreador: quais riscos enfrentam e como?
O rastreador, ainda que seja uma opção muitas vezes mais em conta que o seguro, abrange apenas o roubo, deixando de lado todos os demais riscos que mencionamos. Se seu veículo é roubado, tentarão rastreá-lo e recuperá-lo. Caso não encontrem, nada garante o ressarcimento do valor do veículo.

Alguns serviços de rastreamento incluem o pagamento do veículo caso não seja encontrado. São mais caros pois têm “embutido” um seguro de automóvel. Esse seguro, porém, também vale apenas para caso de roubo.

Já o seguro de automóvel, contratado através de um corretor e de uma seguradora, abrange tanto o roubo quanto muitos outros riscos a que se está sujeito no trânsito: colisão, acidentes pessoais com terceiros, enchentes etc. Seu custo relativamente mais alto se justifica pela cobertura de riscos muito mais diversos, protegendo muito mais.
  • Qual a melhor opção?
O seguro usualmente é mais caro que o rastreador, mas em termos de custo-benefício é muito mais vantajoso devido a maior abrangência de suas coberturas, ainda mais quando inclui a própria instalação de rastreador.

Além disso, o seguro pode oferecer diversos outros benefícios opcionais, como fornecimento de guincho e assistência em caso de danos hidráulicos ou elétricos. Em alguns casos, a própria seguradora oferece a instalação do rastreador em comodato com o segurado.

Ter somente o rastreador não garante, por exemplo, danos parciais ao veículo ou danos a terceiros. Além disso, o índice de recuperação através desses dispositivos vem caindo a cada ano, com a disseminação da importação do “jammer” – um aparelho que bloqueia o sinal do rastreador.


Antes de fazer sua escolha, atente para os riscos aos quais seu veículo, você e terceiros estão sujeitos no dia a dia do trânsito. Envie dúvidas e sugestões de posts! =)

thumbnail
About The Author

Ut dignissim aliquet nibh tristique hendrerit. Donec ullamcorper nulla quis metus vulputate id placerat augue eleifend. Aenean venenatis consectetur orci, sit amet ultricies magna sagittis vel. Nulla non diam nisi, ut ultrices massa. Pellentesque sed nisl metus. Praesent a mi vel ante molestie venenatis.

0 comentários